[R-P] Reenvío de dos correos por errores de formato

Administrador Reconquista Popular recpopad en gmail.com
Dom Mayo 27 18:41:57 MDT 2007


[Un nuevo suscriptor, brasileño, ha enviado dos mensajes en el día de
hoy, que reenviamos pese a que no están en el formato adecuado.
Rogamos por favor al suscriptor "mapf" que envíe sus mensajes en
formato texto simple. Gracias.]

[1.- Reproducido parcialmente

S=E3o Paulo, domingo, 27 de maio de 2007
  Texto Anterior
<http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz2705200708.htm>| Pr=F3ximo
Texto <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz2705200710.htm> |
=CDndice<http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/inde27052007.htm>

*O p=F3s-moderno* *FRANCISCO DE OLIVEIRA*

*Ele deu um salto =E0 frente, de enormes propor=E7=F5es, e se tornou o mais
eminente dos p=F3s-modernos. Lula =E9, agora, a vanguarda do atraso*

LUIZ IN=C1CIO Lula da Silva, o atual presidente, nunca disfar=E7ou seu desp=
rezo
pelos intelectuais, sentimento ou perspectiva compartilhada, ali=E1s, por n=
=E3o
poucos dos seus camaradas. Houve at=E9 um ministro importante do primeiro
mandato que, ao anunciar a cria=E7=E3o de um n=FAcleo de estudos estrat=E9g=
icos no
governo, avisou imediatamente que nele n=E3o teriam assento intelectuais qu=
e
discutem eternamente o "sexo dos anjos", o que deu para
desconfiar que ele
n=E3o entendia nada de sexo ou de anjos -ou dos dois. A ironia =E9 que Lula
entregou agora o Ipea e o tal n=FAcleo de estudos exatamente a um intelectu=
al,
t=E3o intelectual que fala portugu=EAs com sotaque norte-americano.
Intelectual, diga-se logo, n=E3o =E9 garantia de coisa alguma, pois o
predecessor de Lula era um intelectual consagrado, que ali=E1s se pavoneava
com certa desfa=E7atez, proporcional ao desprezo de Lula. Que o PT tenha
incensado certos intelectuais n=E3o faz muita diferen=E7a, pois essa =E9 um=
a
tradi=E7=E3o da esquerda, a instrumentaliza=E7=E3o dos intelectuais ou de s=
eus
prest=EDgios.
Por isso, n=E3o se lamenta muito o desprezo do presidente. Mas ele agora de=
u
um salto =E0 frente, de enormes propor=E7=F5es, e se tornou o mais eminente=
 dos
p=F3s-modernos. Ainda que rejeitem a no=E7=E3o de vanguarda, =E9 certo que =
Luiz
In=E1cio =E9, agora, a vanguarda do atraso.
Fazendo tabula rasa da hist=F3ria dos trabalhadores sob o capitalismo, Lula=
 se
entregou a perigosos exerc=EDcios intelectuais: designou os usineiros de
a=E7=FAcar do Brasil como her=F3is, os mais importantes do Brasil moderno, =
vale
dizer, do Brasil lulista. Logo ele, pernambucano, desconhecer a hist=F3ria =
dos
trabalhadores da cana-de-a=E7=FAcar.
Jogou na lata de lixo as vidas ceifadas e de qualquer modo amesquinhadas po=
r
uma das formas de explora=E7=E3o do trabalho mais brutais. N=E3o, segundo o
p=F3s-modernismo do presidente, eles, os trabalhadores, n=E3o existiram, su=
as
vidas n=E3o contaram, porque os usineiros sempre foram magn=E2nimos e um vi=
=E9s
preconceituoso da esquerda prejudicou o reconhecimento do papel e do lugar
dessa primorosa classe social na hist=F3ria brasileira.
Francisco Alves =E9 um pesquisador e professor da Universidade Federal de S=
=E3o
Carlos que, com Jos=E9 Roberto Novaes, este da federal do Rio de Janeiro, e=
st=E1
publicando em livro os resultados de anos de investiga=E7=E3o sobre o traba=
lho
dos cortadores de cana na regi=E3o eldorada do a=E7=FAcar em S=E3o Paulo. E=
m recente
semin=E1rio na Faculdade de Sa=FAde P=FAblica da USP, foi dif=EDcil conter =
a
indigna=E7=E3o de Chico Alves, pois os jornais noticiavam mais uma morte po=
r
exaust=E3o de um trabalhador da cana. Quase ao mesmo tempo, a Folha atualiz=
ava
a sinistra estat=EDstica: j=E1 s=E3o 19 trabalhadores que morrem por exaust=
=E3o
desde 2004.
A professora Maria Aparecida Moraes, que tamb=E9m comparece com excelente
artigo na colet=E2nea, esclarecia em entrevista o que provocava as mortes p=
or
exaust=E3o, mas a encerrava com uma nota final esperan=E7osa que, para os
leitores, era completamente estapaf=FArdia diante do que ela mesma comentar=
a.
Aos fatos, finalmente: a produtividade dos trabalhadores tem crescido de
maneira exponencial. No per=EDodo de dez anos estudado por Chico Alves, ela
havia passado de seis para 12 toneladas di=E1rias. Eles perdem cerca de dez
litros de =E1gua por dia, percorrem dist=E2ncias -no campo de trabalho, nos
metros que lhes s=E3o destinados para corte- de dez quil=F4metros di=E1rios=
, d=E3o
66 mil foi=E7adas (com o pod=E3o, um fac=E3o especial) por dia para lograr =
as 12
toneladas di=E
-- 
Administración de la lista
Reconquista Popular




Más información sobre la lista de distribución Reconquista-Popular